Blog Lynaldo Cavalcanti

Região Norte reúne a maior proporção de empreendedores do país, aponta Sebrae

31

jan

2013

Estudo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgado nesta quinta-feira (31 de dezembro), mostra que a região Norte do Brasil concentra a maior proporção de empreendedores em relação à população. Segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2012 (GEM), cerca de 34% da população adulta, entre 18 e 64 anos, dos sete estados da região, estão envolvidos na criação ou condução de um negócio. No país, essa proporção é de 30,2% da população, que corresponde a um aumento de 44% em relação a 2002, quando a taxa era de 20,9%.

De acordo com o censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a região Norte tem cerca de 15,8 milhões de pessoas. Isso significa que aproximadamente 5,3 milhões estão iniciando ou administrando o próprio negócio na região, que por muito tempo teve a pobreza como uma de suas características. Proporcionalmente, o sudeste é a região com a menos quantidade de empreendedores: 29,1%. Mesmo assim, a região ainda detém o maior número absoluto de micro e pequenos empresários e de empreendedores individuais, com 15,3 milhões pessoas empreendendo em alguma área.

Um dado relevante apontado pela pesquisa é que a maioria dos novos empreendimentos é aberta por oportunidade, quando o empreendedor identifica um mercado potencial, e não por necessidade. Aproximadamente 70% dos novos negócios abertos no país foram desta forma. Em 2002, a oportunidade era responsável por cerca de 42% das novas empreitadas. O Centro-Oeste do Brasil lidera este quadro, com 85% das empresas abertas a partir desta perspectiva.

Além disso, hoje o País tem um número muito maior de pessoas desejando abrir o próprio negócio, do que fazer carreira em uma empresa. Dos 10 mil entrevistados, 43,5% disseram sonhar em ter um empreendimento próprio, enquanto 24,7% prefeririam fazer carreira em uma empresa.

Na página da entidade, o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, analisa a questão. “O Brasil vive a plena expansão do mercado interno e a ascensão da classe média, que desponta com grande poder de consumo e também empreende em setores diversos. Nos últimos dez anos, as mudanças na legislação também favoreceram o ambiente empreendedor no país. O brasileiro está mais escolarizado e passou a abrir empresa por identificar uma demanda de negócio. É muito diferente do cenário há alguns anos, quando a pessoa abria empresa ao ficar desempregada e não encontrar outra alternativa.”

Outro dado importante é o aumento no percentual de novas empresas controladas por mulheres. Em 2012, 49,6% das novas empresas foi aberta por elas. É a primeira retomada de crescimento no índice, desde 2010. O ano de 2009 foi o que apresentou o maior percentual de mulheres a frente de uma nova empresa: 53%. Nos anos seguintes o índice teve quedas. Nas regiões Nordeste e Sul, o sexo feminino supera o masculino no percentual dos que começam um empreendimento. Cerca de 52% dos negócios com menos de três anos de existência estão nas mãos das mulheres nordestinas e sulistas.

A pesquisa GEM é realizada desde 2009 em vários países do mundo. No Brasil é organizada pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP). A GEM 2012 contou com a participação de 69 países. O levantamento ouviu 10 mil pessoas, entre 18 e 64 anos, das cinco regiões brasileiras.

(Com informações da Rede Brasil Atual)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *